Impotência sexual pode ser genética? E quais outras causas?

Conteúdo


Atualmente, já existem diversos estudos averiguando se a impotência sexual pode ter uma causa genética.

Essa pode ser uma luz no fim do túnel para pacientes que são sistematicamente tratados a partir de um diagnóstico de disfunção erétil com causas psicogênicas, mas não conseguem bons resultados. Veja mais neste texto.

O que é impotência sexual?

É considerada impotência sexual quando o homem não consegue atingir a ereção ou mantê-la para o sexo com penetração.

Quando um homem falha na ereção de vez em quando pode ser perfeitamente normal. Essa falha pode ter relação com uma indisposição física ou até mesmo uma condição situacional que prejudicou a performance sexual. Mas, quando a impossibilidade de conseguir ou manter a ereção ocorre sistematicamente, entra na categoria de impotência sexual.

Sintomas de impotência sexual

  • Completa incapacidade de obter a ereção;
  • Incapacidade de manter a ereção para a penetração;
  • Conseguir atingir ou manter a ereção apenas de vez em quando.

Atualmente já existem diversos estudos averiguando se a impotência sexual pode ter uma causa genética. Essa pode ser uma luz no fim do túnel para pacientes que são sistematicamente tratados a partir de um diagnóstico de disfunção erétil com causas psicogênicas, mas não conseguem bons resultados. Veja mais neste texto: O que é impotência sexual? É considerada impotência sexual quando o homem não consegue atingir a ereção ou mantê-la para o sexo com penetração. Quando um homem falha na ereção de vez em quando pode ser perfeitamente normal. Essa falha pode ter relação com uma indisposição física ou até mesmo uma condição situacional que prejudicou a performance sexual. Mas, quando a impossibilidade de conseguir ou manter a ereção ocorre sistematicamente, entra na categoria de impotência sexual. Sintomas de impotência sexual Completa incapacidade de obter a ereção; Incapacidade de manter a ereção para a penetração; Conseguir atingir ou manter a ereção apenas de vez em quando. Estudos tentam provar que impotência pode ser genética Atualmente existem diversos estudos que estão tentando comprovar que a impotência sexual também pode ter causas genéticas, porque mesmo com diversos fatores de risco, muitos homens não têm problemas de potência sexual. No entanto, outros se queixam que sempre tiveram ereção incompleta e fraca, desde jovens, já recorreram a remédios, que muitas vezes não surtiram efeito, então foram encaminhados para um tratamento psicológico, mas também não se encaixam nesta categoria. Embora os estudos sejam demorados para serem conclusivos, pode haver sim uma possibilidade de transmissibilidade genética na questão da potência sexual, como ocorre com diversas outras características físicas. Os principais genes relacionados à potência sexual são os relacionados ao óxido nítrico sintase, ao fator de crescimento vascular endotelial, mutações no receptor androgênico, no receptor de arginina e metiltetrahidrofolato, entre outros. O certo é que a fisiologia da ereção tem muitos fatores que podem interferir na qualidade do seu desempenho. Quando esses estudos estiverem concluídos, no futuro será possível mapear os pacientes, entender a característica genética e interferir diretamente na causa do que está provocando a impotência sexual no paciente. Assim, o que é bom para impotência sexual deste tipo será a forma de tratamento utilizada para esses casos e não para os aspectos mais gerais e já conhecidos da disfunção sexual. Um dos estudos que buscaram respostas Os pesquisadores do estudo “A variação genética no locus SIM1”, realizado em 2018 com 36.649 homens, descobriram que as variações da sequência de DNA estão associadas a um risco aumentado de cerca de 26% para a impotência sexual. A localização genética ligada à impotência sexual foi o cromossomo 6 perto de um gene conhecido como SIM1. Ainda assim, são necessários ainda mais estudos para efetivar essa descoberta. Muitos médicos, no entanto, já consideram como um ponto de partida para estudar também novas formas de tratamento e chegar a uma ótima notícia que a impotência sexual tem cura por meio desses novos métodos. O que causa impotência sexual? Ultimamente, surgiram estudos ligando a impotência sexual com a Covid, que é uma doença que provoca uma profunda reação inflamatória no organismo e que prejudica também a circulação sanguínea. Outro aspecto é que a Covid tem sido considerada uma doença endotelial (da parede interna dos vasos sanguíneos), assim como disfunção erétil. Mas, até o momento, várias doenças e condições são consideradas causas da impotência sexual, como o envelhecimento. A partir de 40 anos mais de 50% dos homens podem se queixar desse problema. Além disso, o que pode causar impotência sexual podem ser patologias cardíacas ou outras que prejudicam a vascularização do pênis, como a diabetes e aterosclerose; traumas penianos, obesidade, uso de certos medicamentos, doenças neurológicas, questões hormonais, cirurgias, alcoolismo, uso de drogas, distúrbios do sono ou causas psicológicas. Entre as causas psicológicas que causam impotência sexual podem ser listadas ansiedade de desempenho, depressão, estresse e até sentimentos negativos em relação à parceria. Tratamentos para impotência sexual A primeira consciência que o homem precisa ter é cuidar da sua saúde como um todo, se ele anda apresentando episódios de disfunção erétil pode estar com outras doenças associadas, como aquelas que causam problemas de vascularização, como as cardíacas. E sim, a diabetes causa impotência sexual. Portanto, não adianta buscar remédio caseiro para impotência sexual, é preciso buscar especialistas, investigar causas adjacentes e investir nos melhores tratamentos. Para as causas que já são conhecidas existem diversos tratamentos para impotência sexual, como: Terapia de reposição hormonal A reposição hormonal masculina é uma das formas de tratamento da impotência quando o homem está com a testosterona baixa, que interfere diretamente na questão sexual, com perda de libido. Remédio para impotência sexual Neste caso, para impotência sexual, vasodilatador é uma medicação que pode ajudar a melhorar a qualidade da ereção (são os inibidores das 5 fosfodiesterase). Esse medicamento para impotência sexual é a primeira tentativa de resolver o problema, porém, nem todos os homens se adaptam a essa solução, porque podem passar a ter sintomas indesejáveis, como obstrução nasal, dores de cabeça, etc. Injeção intracavernosa Quando os pacientes não percebem mais efeitos com o uso, via oral, de remédio para impotência sexual masculina, a segunda abordagem é a injeção peniana para estimular a ereção. Essa injeção é aplicada momentos antes do sexo, e terá duração por um certo período. Reabilitação peniana Um conceito da medicina é que membros que ficam imobilizados sofrem atrofia. Então, pacientes que estão sem ereção há muito tempo e sem efetuar a relação sexual podem perceber que o pênis diminuiu e afinou. A terapia de reabilitação peniana vai estimular exercícios para impotência sexual que irão melhorar a função erétil, como vacuoterapia com uso de bomba peniana, que vai provocar uma ereção mecânica, ou exercícios para assoalho pélvico. Terapia com ondas de baixa intensidade A terapia de ondas de choque é um tratamento bastante inovador, indolor, sem efeitos colaterais e não invasivo. Vai recuperar a irrigação do tecido cavernoso peniano por meio de ondas sonoras de baixa intensidade. É indicado para qualquer situação que prejudique a vascularização do pênis, como o envelhecimento, diabetes, hipertensão, colesterol alto ou obesidade. Terapias psicogênicas Quando o paciente não tem causas físicas associadas à impotência sexual, ele pode estar sofrendo de causas psicológicas que estão prejudicando sua vida, como estresses, depressão ou ansiedades. Essas podem ser questões situacionais, que tendem a ter seus efeitos minimizados com uma terapia psicológica. Nestes casos, enquanto o problema não se resolve, pode haver a necessidade também de uma intervenção medicamentosa em paralelo. Prótese peniana Para impotência sexual, a prótese peniana é uma solução quando o paciente não consegue mais ter uma ereção por meio de nenhuma outra abordagem terapêutica, mas é uma resposta definitiva para o problema. O paciente terá implantado dentro dos corpos cavernosos um dispositivo que vai viabilizar a ereção do paciente de forma definitiva. São dois os modelos: prótese maleável e prótese inflável. Conclusão Além de todas as causas já conhecidas, cada vez mais está ocorrendo o esforço para comprovar que sim, a impotência sexual pode ter fatores hereditários associados. Esse será um grande passo para melhorar as opções de tratamento para os homens que sofrem com o problema. Porém, se o homem acredita que se enquadra nessa categoria de impotência sexual de ordem genética ou por outros motivos, é preciso sempre buscar um especialista em sexualidade masculina para encontrar a melhor abordagem terapêutica para o seu caso.

Estudos tentam provar que impotência pode ser genética

Atualmente existem diversos estudos que estão tentando comprovar que a impotência sexual também pode ter causas genéticas, porque mesmo com diversos fatores de risco, muitos homens não têm problemas de potência sexual.

No entanto, outros se queixam que sempre tiveram ereção incompleta e fraca, desde jovens, já recorreram a remédios, que muitas vezes não surtiram efeito, então foram encaminhados para um tratamento psicológico, mas também não se encaixam nesta categoria.

Embora os estudos sejam demorados para serem conclusivos, pode haver sim uma possibilidade de transmissibilidade genética na questão da potência sexual, como ocorre com diversas outras características físicas.

Os principais genes relacionados à potência sexual são os relacionados ao óxido nítrico sintase, ao fator de crescimento vascular endotelial, mutações  no receptor androgênico, no receptor de arginina e metiltetrahidrofolato, entre outros.

O certo é que a fisiologia da ereção tem muitos fatores que podem interferir na qualidade do seu desempenho.

Quando esses estudos estiverem concluídos, no futuro será possível  mapear os pacientes, entender a característica genética e interferir diretamente na causa do que está provocando a impotência sexual no paciente.

Assim, o que é bom para impotência sexual deste tipo será a forma de tratamento utilizada para esses casos e não para os aspectos mais gerais e já conhecidos da disfunção sexual.

Ebook Disfunção erétil

Um dos estudos que buscaram respostas

Os pesquisadores do estudo “A variação genética no locus SIM1”, realizado em 2018 com 36.649 homens, descobriram que as variações da sequência de DNA estão associadas a um risco aumentado de cerca de 26% para a impotência sexual.

A localização genética ligada à impotência sexual foi o cromossomo 6 perto de um gene conhecido como SIM1. 

Ainda assim, são necessários ainda mais estudos para efetivar essa descoberta. Muitos médicos, no entanto, já consideram como um ponto de partida para estudar também novas formas de tratamento e chegar a uma ótima notícia que a impotência sexual tem cura por meio desses novos métodos.

Atualmente, já existem diversos estudos averiguando se a impotência sexual pode ter uma causa genética. Essa pode ser uma luz no fim do túnel para pacientes que são sistematicamente tratados a partir de um diagnóstico de disfunção erétil com causas psicogênicas, mas não conseguem bons resultados. Veja mais neste texto: O que é impotência sexual? É considerada impotência sexual quando o homem não consegue atingir a ereção ou mantê-la para o sexo com penetração. Quando um homem falha na ereção de vez em quando pode ser perfeitamente normal. Essa falha pode ter relação com uma indisposição física ou até mesmo uma condição situacional que prejudicou a performance sexual. Mas, quando a impossibilidade de conseguir ou manter a ereção ocorre sistematicamente, entra na categoria de impotência sexual. Sintomas de impotência sexual Completa incapacidade de obter a ereção; Incapacidade de manter a ereção para a penetração; Conseguir atingir ou manter a ereção apenas de vez em quando. Estudos tentam provar que impotência pode ser genética Atualmente existem diversos estudos que estão tentando comprovar que a impotência sexual também pode ter causas genéticas, porque mesmo com diversos fatores de risco, muitos homens não têm problemas de potência sexual. No entanto, outros se queixam que sempre tiveram ereção incompleta e fraca, desde jovens, já recorreram a remédios, que muitas vezes não surtiram efeito, então foram encaminhados para um tratamento psicológico, mas também não se encaixam nesta categoria. Embora os estudos sejam demorados para serem conclusivos, pode haver sim uma possibilidade de transmissibilidade genética na questão da potência sexual, como ocorre com diversas outras características físicas. Os principais genes relacionados à potência sexual são os relacionados ao óxido nítrico sintase, ao fator de crescimento vascular endotelial, mutações no receptor androgênico, no receptor de arginina e metiltetrahidrofolato, entre outros. O certo é que a fisiologia da ereção tem muitos fatores que podem interferir na qualidade do seu desempenho. Quando esses estudos estiverem concluídos, no futuro será possível mapear os pacientes, entender a característica genética e interferir diretamente na causa do que está provocando a impotência sexual no paciente. Assim, o que é bom para impotência sexual deste tipo será a forma de tratamento utilizada para esses casos e não para os aspectos mais gerais e já conhecidos da disfunção sexual. Um dos estudos que buscaram respostas Os pesquisadores do estudo “A variação genética no locus SIM1”, realizado em 2018 com 36.649 homens, descobriram que as variações da sequência de DNA estão associadas a um risco aumentado de cerca de 26% para a impotência sexual. A localização genética ligada à impotência sexual foi o cromossomo 6 perto de um gene conhecido como SIM1. Ainda assim, são necessários ainda mais estudos para efetivar essa descoberta. Muitos médicos, no entanto, já consideram como um ponto de partida para estudar também novas formas de tratamento e chegar a uma ótima notícia que a impotência sexual tem cura por meio desses novos métodos. O que causa impotência sexual? Ultimamente, surgiram estudos ligando a impotência sexual com a Covid, que é uma doença que provoca uma profunda reação inflamatória no organismo e que prejudica também a circulação sanguínea. Outro aspecto é que a Covid tem sido considerada uma doença endotelial (da parede interna dos vasos sanguíneos), assim como disfunção erétil. Mas, até o momento, várias doenças e condições são consideradas causas da impotência sexual, como o envelhecimento. A partir de 40 anos mais de 50% dos homens podem se queixar desse problema. Além disso, o que pode causar impotência sexual podem ser patologias cardíacas ou outras que prejudicam a vascularização do pênis, como a diabetes e aterosclerose; traumas penianos, obesidade, uso de certos medicamentos, doenças neurológicas, questões hormonais, cirurgias, alcoolismo, uso de drogas, distúrbios do sono ou causas psicológicas. Entre as causas psicológicas que causam impotência sexual podem ser listadas ansiedade de desempenho, depressão, estresse e até sentimentos negativos em relação à parceria. Tratamentos para impotência sexual A primeira consciência que o homem precisa ter é cuidar da sua saúde como um todo, se ele anda apresentando episódios de disfunção erétil pode estar com outras doenças associadas, como aquelas que causam problemas de vascularização, como as cardíacas. E sim, a diabetes causa impotência sexual. Portanto, não adianta buscar remédio caseiro para impotência sexual, é preciso buscar especialistas, investigar causas adjacentes e investir nos melhores tratamentos. Para as causas que já são conhecidas existem diversos tratamentos para impotência sexual, como: Terapia de reposição hormonal A reposição hormonal masculina é uma das formas de tratamento da impotência quando o homem está com a testosterona baixa, que interfere diretamente na questão sexual, com perda de libido. Remédio para impotência sexual Neste caso, para impotência sexual, vasodilatador é uma medicação que pode ajudar a melhorar a qualidade da ereção (são os inibidores das 5 fosfodiesterase). Esse medicamento para impotência sexual é a primeira tentativa de resolver o problema, porém, nem todos os homens se adaptam a essa solução, porque podem passar a ter sintomas indesejáveis, como obstrução nasal, dores de cabeça, etc. Injeção intracavernosa Quando os pacientes não percebem mais efeitos com o uso, via oral, de remédio para impotência sexual masculina, a segunda abordagem é a injeção peniana para estimular a ereção. Essa injeção é aplicada momentos antes do sexo, e terá duração por um certo período. Reabilitação peniana Um conceito da medicina é que membros que ficam imobilizados sofrem atrofia. Então, pacientes que estão sem ereção há muito tempo e sem efetuar a relação sexual podem perceber que o pênis diminuiu e afinou. A terapia de reabilitação peniana vai estimular exercícios para impotência sexual que irão melhorar a função erétil, como vacuoterapia com uso de bomba peniana, que vai provocar uma ereção mecânica, ou exercícios para assoalho pélvico. Terapia com ondas de baixa intensidade A terapia de ondas de choque é um tratamento bastante inovador, indolor, sem efeitos colaterais e não invasivo. Vai recuperar a irrigação do tecido cavernoso peniano por meio de ondas sonoras de baixa intensidade. É indicado para qualquer situação que prejudique a vascularização do pênis, como o envelhecimento, diabetes, hipertensão, colesterol alto ou obesidade. Terapias psicogênicas Quando o paciente não tem causas físicas associadas à impotência sexual, ele pode estar sofrendo de causas psicológicas que estão prejudicando sua vida, como estresses, depressão ou ansiedades. Essas podem ser questões situacionais, que tendem a ter seus efeitos minimizados com uma terapia psicológica. Nestes casos, enquanto o problema não se resolve, pode haver a necessidade também de uma intervenção medicamentosa em paralelo. Prótese peniana Para impotência sexual, a prótese peniana é uma solução quando o paciente não consegue mais ter uma ereção por meio de nenhuma outra abordagem terapêutica, mas é uma resposta definitiva para o problema. O paciente terá implantado dentro dos corpos cavernosos um dispositivo que vai viabilizar a ereção do paciente de forma definitiva. São dois os modelos: prótese maleável e prótese inflável. Conclusão Além de todas as causas já conhecidas, cada vez mais está ocorrendo o esforço para comprovar que sim, a impotência sexual pode ter fatores hereditários associados. Esse será um grande passo para melhorar as opções de tratamento para os homens que sofrem com o problema. Porém, se o homem acredita que se enquadra nessa categoria de impotência sexual de ordem genética ou por outros motivos, é preciso sempre buscar um especialista em sexualidade masculina para encontrar a melhor abordagem terapêutica para o seu caso.

O que causa impotência sexual?

Ultimamente, surgiram estudos ligando a impotência sexual com a Covid, que é uma doença que provoca uma profunda reação inflamatória no organismo e que prejudica também a circulação sanguínea.

Outro aspecto é que a Covid tem sido considerada uma doença endotelial (da parede interna dos vasos sanguíneos), assim como disfunção erétil.

Mas, até o momento, várias doenças e condições são consideradas causas da impotência sexual, como o envelhecimento. A partir de 40 anos mais de 50% dos homens podem se queixar desse problema.

Além disso, o que pode causar impotência sexual podem ser patologias cardíacas ou outras que prejudicam a vascularização do pênis, como a diabetes e aterosclerose; traumas penianos, obesidade, uso de certos medicamentos, doenças neurológicas, questões hormonais, cirurgias, alcoolismo, uso de drogas, distúrbios do sono ou causas psicológicas. 

Entre as causas psicológicas que causam impotência sexual podem ser listadas ansiedade de desempenho, depressão, estresse e até sentimentos negativos em relação à parceria.

Veja mais neste vídeo abaixo:

 
Tratamentos para impotência sexual

A primeira consciência que o homem precisa ter é cuidar da sua saúde como um todo, se ele anda apresentando episódios de disfunção erétil pode estar com outras doenças associadas, como aquelas que causam problemas de vascularização, como as cardíacas. E sim, a diabetes causa impotência sexual.

Portanto, não adianta buscar remédio caseiro para impotência sexual, é preciso buscar especialistas, investigar causas adjacentes e investir nos melhores tratamentos. 

Para as causas que já são conhecidas existem diversos tratamentos para impotência sexual, como:

Terapia de reposição hormonal

A reposição hormonal masculina é uma das formas de tratamento da impotência quando o homem está com a testosterona baixa, que interfere diretamente na questão sexual, com perda de libido.

Remédio para impotência sexual

Neste caso, para impotência sexual, vasodilatador é uma medicação que pode ajudar a melhorar a qualidade da ereção (são os inibidores das 5 fosfodiesterase). Esse medicamento para impotência sexual é a primeira tentativa de resolver o problema, porém, nem todos os homens se adaptam a essa solução, porque podem passar a ter sintomas indesejáveis, como obstrução nasal, dores de cabeça, etc. 

Injeção intracavernosa

Quando os pacientes não percebem mais efeitos com o uso, via oral, de remédio para impotência sexual masculina, a segunda abordagem é a injeção peniana para estimular a ereção.

Essa injeção é aplicada momentos antes do sexo, e terá duração por um certo período.

Reabilitação peniana

Um conceito da medicina é que membros que ficam imobilizados sofrem atrofia. Então, pacientes que estão sem ereção há muito tempo e sem efetuar a relação sexual podem perceber que o pênis diminuiu e afinou. A terapia de reabilitação peniana vai estimular exercícios  para impotência sexual que irão melhorar a função erétil, como vacuoterapia com uso de bomba peniana, que vai provocar uma ereção mecânica, ou exercícios para assoalho pélvico.

Terapia com ondas de baixa intensidade

A terapia de ondas de choque é um tratamento bastante inovador, indolor, sem efeitos colaterais e não invasivo.

Vai recuperar a irrigação do tecido cavernoso peniano por meio de ondas sonoras de baixa intensidade. É indicado para qualquer situação que prejudique a vascularização do pênis,  como o envelhecimento, diabetes, hipertensão, colesterol alto ou obesidade.

Saiba mais com esse vídeo abaixo:

Terapias psicogênicas

Quando o paciente não tem causas físicas associadas à impotência sexual, ele pode estar sofrendo de causas psicológicas que estão prejudicando sua vida, como estresses, depressão ou ansiedades.

Essas podem ser questões situacionais, que tendem a ter seus efeitos minimizados com uma terapia psicológica. Nestes casos, enquanto o problema não se resolve, pode haver a necessidade também de uma intervenção medicamentosa em paralelo.

Prótese peniana

Para impotência sexual, a prótese peniana é uma  solução quando o paciente não consegue mais ter uma ereção por meio de nenhuma outra abordagem terapêutica, mas é uma resposta definitiva para o problema.

O paciente terá implantado dentro dos corpos cavernosos um dispositivo que vai viabilizar a ereção do paciente de forma definitiva. São dois os modelos: prótese maleável e prótese inflável. 

Conclusão

Além de todas as causas já conhecidas, cada vez mais está ocorrendo o esforço para comprovar que sim, a impotência sexual pode ter fatores hereditários associados. Esse será um grande passo para melhorar as opções de tratamento para os homens que sofrem com o problema.

Porém, se o homem acredita que se enquadra nessa categoria de impotência sexual de ordem genética ou por outros motivos, é preciso sempre buscar um especialista em sexualidade masculina para encontrar a melhor abordagem terapêutica para o seu caso.

Home – Marco Túlio

Dr. Marco Túlio Cavalcanti Urologista e Andrologista. Disfunção Erétil e Impotência sexual: dê fim a esse tormento. Prótese do Pênis: a retomada da sua vida sexual. Doença Peyronie: correção da curvatura, recuperação do tamanho e calibre do pênis. Reposição Hormonal: retome o seu desempenho.

Instagram: @dr.mtcavalcanti

Youtube: Dr. Marco Túlio Cavalcanti

www.drmarcotuliourologista.com.br

 

Leia também

Infertilidade masculina: reposição hormonal pode influenciar?

Infertilidade masculina: reposição hormonal pode influenciar?

São muitas as razões que levam um homem a sofrer um declínio de testosterona e começar uma reposição hormonal, mas…
Injeção para ereção: quando deve ser indicada e como deve ser feita?

Injeção para ereção: quando deve ser indicada e como deve ser feita?

A injeção para ereção é uma das abordagens utilizadas como tratamento da disfunção erétil.  Saiba neste post para quem esse…
Impotência sexual pode ser genética? E quais outras causas?

Impotência sexual pode ser genética? E quais outras causas?

Atualmente, já existem diversos estudos averiguando se a impotência sexual pode ter uma causa genética. Essa pode ser uma luz…
Translate »