Tipos de pênis: qual é o formato do seu? Entenda se é normal

Conteúdo

As pessoas são diferentes em características físicas e emocionais, até por isso, existem tipos de pênis distintos também. Essa constatação leva muitos homens a pensar se têm um pênis normal. Leia neste post, como reconhecer os diferentes tipos de pênis e saber se o formato do órgão sexual pode revelar alguma patologia, por exemplo, a doença de Peyronie. Quais os tipos de pênis? A preocupação que os homens têm em relação ao próprio pênis, até mesmo sobre o formato, é perfeitamente natural, pelo menos a maioria quer que o órgão sexual cause boa impressão. Por conta disso, o formato do órgão sexual pode provocar algum tipo de dúvida: será que é normal? Mas já vale ressaltar que nem todos os tipos de pênis são iguais, uns podem ser mais retos, outros um pouco mais curvos e outros ter uma glande maior que a base. Mesmo que todos todos os tipos de pênis tenham uma estrutura semelhante (base, corpo e glande) revelam alguns detalhes que vão além de comprimento e largura, e tornam-se diferentes, portanto, não é errado dizer que muito raramente os órgãos sexuais são exatamente iguais, mas apenas se assemelham em formatos. Só por essas características gerais já dá para perceber que há muito mais do que dois tipos de pênis. Considerando todos esses detalhes, podem ser definidos mais de 10 tipos de pênis. Dentre os tipos, vale destacar que o tamanho considerado normal pode variar até mesmo entre etnias. Mas em geral, um pênis considerado de tamanho normal no nosso país terá, em média, entre 13,1 e 15,5 cm. Além disso, também vale ressaltar que um pênis que tenha até 4 cm em estado flácido ou 7,5 cm no estado ereto é denominado micropênis. Outro fator em relação ao tipo de pênis é o calibre. Segundo um estudo do King’s College London, o pênis “normal” tem uma média de circunferência de 11,6 cm, quando ereto. Os tipos de pênis Para definir os vários tipos de pênis, na internet, vão surgir comparações do órgão sexual com frutas, legumes ou objetos, para que as pessoas entendam melhor a que se refere cada formato. No entanto, são 4 tipos principais que podem ter algumas variações: 1 - Reto Esse tipo de pênis tem o mesmo formato da base até a glande, não há angulações. Semelhante a um pepino. Pode tanto ser mais fino e menor, quanto mais grosso e maior. Se for mais fino, pode vulgarmente ser chamado de pênis régua, se for grande e mais grosso pode ser chamado de bastão. 2 - Base maior com glande estreita Esse pênis pode ser mais grosso na base e mais estreito em direção à glande, muitas vezes, pode se assemelhar a um formato de cone. 3 - Base menos larga do que a glande Neste tipo de pênis, a base é mais fina e a glande é mais grossa, por isso, comparam com o formato de berinjela. 4 - Curvado Muitos comparam esse pênis ao formato de uma banana. A diferença vai estar nos tipos de curvatura, que podem ser para cima, para baixo ou para os lados. Alguns definem o pênis com curvatura para cima como “nas alturas”, os curvados para baixo de “bumerangue”, e os para os lados como “curvas perigosas”. Uma certa curvatura é até normal, porém, se essa curvatura não era o normal para o pênis do homem, só passou a surgir na fase adulta quando o pênis está ereto e, em muitas vezes, surge dor na hora da ereção, pode sim ser um dos sintomas da doença de Peyronie. A curvatura anormal ,em geral, tem a angulação de 30 a 90 graus e, às vezes, inviabiliza a relação sexual. Mais 2 variações quanto à elasticidade Grower ( "Aquele que cresce"): no caso do pênis, seria o que tem boa elasticidade. Homens com esse tipo de pênis, podem triplicar o tamanho do pênis quando ereto. Homens que têm tamanho do pênis ereto dentro da média, podem reclamar de pênis pequeno quando flácido (mole). Shower ("Aquele que se mostra ou se exibe"): são homens que o pênis não têm boa elasticidade, ou seja, no estado flácido (mole), tem quase o mesmo tamanho de quando ereto. Então, por definição, não tem nada a ver com pênis grande ou pequeno, tem a ver com a elasticidade do órgão sexual. Para relembrar, o que é a Doença de Peyronie? A doença de Peyronie impacta a túnica albugínea do pênis, que é a parede interna do pênis e que mantém o sangue represado proporcionando rigidez e elasticidade durante a ereção. Quando o paciente tem essa patologia, surge uma fibrose "interna" (tecido endurecido, cicatricial) ou até uma calcificação nesta da parede interna do pênis. Essas fibroses são provocadas por microlesões que ocorrem durante a relação sexual. Com o tempo, essas microlesões se inflamam e causam as fibroses que vão deixar o pênis torto. Alguns fatores de risco para Doença de Peyronie são: questões genéticas, diabetes, cirurgias no pênis (cirurgias uretrais e da próstata), síndrome metabólica (hipertensão, colesterol alto, etc), tabagismo e disfunção erétil. Normalmente, esse problema afeta homens com mais de 40 anos, porém encontramos jovens também que sofrem com isto. A doença de Peyronie, além do incômodo na fase inflamatória, que pode provocar dores durante a ereção, poderá inviabilizar o sexo com penetração de acordo com nível das curvaturas formadas no órgão sexual, e até levar à disfunção erétil. Na fase aguda, quando a curvatura ainda não está sedimentada, o tratamento poderá ser com medicações e até dispositivos para correção da curvatura. Já na fase crônica, quando a placa cicatricial já está sedimentada, essa correção deverá ser realizada por meio da cirurgia de peyronie. De qualquer forma, é preciso buscar ajuda médica para que o médico prescreva a abordagem mais adequada. # Dica de ouro do médico Agora que já sabe quais são os tipos de pênis, entenda que, com exceção do pênis que está acometido pela Doença de Peyronie, os vários formatos são considerados normais e poderão satisfazer sexualmente a parceria. Por sinal, cada tipo de pênis tem suas vantagens e pode servir de aditivo em posições sexuais específicas. Seja para os 10 tipos de pênis ou mais, o importante para todos é que sejam mantidos os hábitos de higiene adequados e uso de preservativos durante a relação sexual. Caso contrário, a má higiene e contágio com doenças sexualmente transmissíveis também podem levar ao câncer de pênis. Esses cuidados são tão relevantes que o Instituto Lado a Lado pela Vida lançou uma campanha no Instagram “Lave o Dito Cujo” para conscientizar os homens sobre a importância da saúde sexual no Novembro Azul.

As pessoas são diferentes em características físicas, até por isso, existem tipos de pênis distintos também. Essa constatação leva muitos homens a pensar se têm um pênis normal.

Leia neste post, como reconhecer os diferentes tipos de pênis e saber se o formato do órgão sexual pode revelar alguma patologia, por exemplo, a doença de Peyronie.

Quais os tipos de pênis?

A preocupação que os homens têm em relação ao próprio pênis, até mesmo sobre o formato, é perfeitamente natural, pelo menos a maioria quer que o órgão sexual cause boa impressão. 

Por conta disso, o formato do órgão sexual pode provocar algum tipo de dúvida: será que é normal? Mas já vale ressaltar que nem todos os tipos de pênis são iguais, uns podem ser mais retos, outros um pouco mais curvos e outros ter uma glande maior que a base.

Mesmo que todos todos os tipos de pênis tenham uma estrutura semelhante (base, corpo e glande) revelam alguns detalhes que vão além de comprimento e largura, e tornam-se diferentes, portanto, não é errado dizer que muito raramente os órgãos sexuais são exatamente iguais, mas apenas se assemelham em formatos.

Só por essas características gerais já dá para perceber que há muito mais do que dois tipos de pênis. Considerando todos esses detalhes, podem ser definidos mais de 10 tipos de pênis. 

Dentre os tipos, vale destacar que o tamanho considerado normal pode variar até mesmo  entre etnias. Mas em geral, um pênis considerado de tamanho normal no nosso país terá, em média, entre 13,1 e 15,5 cm. Além disso, também vale ressaltar que um pênis que tenha até 4 cm em estado flácido ou 7,5 cm no estado ereto é denominado micropênis.

Outro fator em relação ao tipo de pênis é o calibre. Segundo um estudo do King’s College London, o pênis “normal” tem uma média de circunferência de 11,6 cm, quando ereto.

Guia completo: doença de peyronie

Os tipos de pênis

Para definir os vários tipos de pênis, na internet, vão surgir comparações do órgão sexual com frutas, legumes ou objetos,  para que as pessoas entendam melhor a que se refere cada formato.

No entanto, são 4 tipos principais que podem ter algumas variações:

1 – Reto

Esse tipo de pênis tem o mesmo formato da base até a glande, não há angulações. Semelhante a um pepino. Pode tanto ser mais fino e menor, quanto mais grosso e maior. Se for mais fino, pode vulgarmente ser chamado de pênis régua, se for grande e mais grosso pode ser chamado de bastão.

2 – Base maior com glande estreita

Esse pênis pode ser mais grosso na base e mais estreito em direção à glande, muitas vezes, pode se assemelhar a um formato de cone.

3 – Base menos larga do que a glande

Neste tipo de pênis, a base é mais fina e a glande é mais grossa, por isso, comparam com o formato de berinjela.

4 – Curvado

Muitos comparam esse pênis ao formato de uma banana. A diferença vai estar nos tipos de curvatura, que podem ser para cima, para baixo ou para os lados.

Alguns definem o pênis com curvatura para cima como “nas alturas”, os curvados para baixo de “bumerangue”, e os para os lados como “curvas perigosas”.

Uma certa curvatura é até normal, porém, se essa curvatura não era o normal para o pênis do homem, só passou a surgir na fase adulta quando o pênis está ereto  e, em muitas vezes, surge dor na hora da ereção, pode sim ser um dos sintomas da doença de Peyronie.

A curvatura anormal ,em geral, tem a angulação de 30 a 90 graus e, às vezes, inviabiliza a relação sexual.

Veja mais sobre Doença de Peyronie neste vídeo:

Mais 2 variações quanto à elasticidade 

  • Grower ( “Aquele que cresce”): no caso do pênis, seria o que tem boa elasticidade. Homens com esse tipo de pênis, podem triplicar o tamanho do pênis quando ereto. Homens que têm tamanho do pênis ereto dentro da média, podem reclamar de pênis pequeno quando flácido (mole).
  • Shower (“Aquele que se mostra ou se exibe”): são homens que o pênis não têm boa elasticidade, ou seja, no estado flácido (mole), tem quase o mesmo tamanho de quando ereto. Então, por definição, não tem nada a ver com pênis grande ou pequeno, tem a ver com a elasticidade do órgão sexual. 

Para relembrar, o que é a Doença de Peyronie?

A doença de Peyronie impacta a túnica albugínea do pênis, que é a parede interna do pênis e que mantém o sangue represado proporcionando rigidez e elasticidade durante a ereção

Quando o paciente tem essa patologia, surge uma fibrose “interna” (tecido endurecido, cicatricial)  ou até uma calcificação nesta da parede interna do pênis.

Essas fibroses são provocadas por microlesões que ocorrem durante a relação sexual. Com o tempo, essas microlesões se inflamam e causam as fibroses que vão deixar o pênis torto.

Alguns fatores de risco para  Doença de Peyronie são: questões genéticas, diabetes, cirurgias no pênis (cirurgias uretrais e da próstata), síndrome metabólica (hipertensão, colesterol alto, etc), tabagismo e disfunção erétil. 

Normalmente, esse problema afeta homens com mais de 40 anos, porém encontramos jovens também que sofrem com isto. 

A doença de Peyronie, além do incômodo na fase inflamatória, que pode provocar dores durante a ereção, poderá inviabilizar o sexo com penetração de acordo com nível das curvaturas formadas no órgão sexual, e até levar à disfunção erétil.

Na fase aguda, quando a curvatura ainda não está sedimentada, o tratamento poderá ser com medicações e até dispositivos para correção da curvatura.

Já na fase crônica, quando a placa cicatricial já está sedimentada, essa correção deverá ser realizada por meio da cirurgia de Peyronie.

De qualquer forma, é preciso buscar ajuda médica para que o médico prescreva a abordagem mais adequada.

Veja mais sobre  tratamento cirúrgico da Doença de Peyronie neste vídeo:

# Dica de ouro do médico

Agora que já sabe quais são os tipos de pênis, entenda que, com  exceção do pênis que está acometido pela Doença de Peyronie, os vários formatos são considerados normais e poderão satisfazer sexualmente a parceria. Por sinal, cada tipo de pênis tem suas vantagens e pode servir de aditivo em posições sexuais específicas.

Seja para os 10 tipos de pênis ou mais, o importante para todos é que sejam mantidos os hábitos de higiene adequados e uso de preservativos durante a relação sexual. Caso contrário, a má higiene e contágio com doenças sexualmente transmissíveis também podem levar ao câncer de pênis. 

Esses cuidados são tão relevantes que o Instituto Lado a Lado pela Vida lançou uma campanha no Instagram “Lave o Dito Cujo” para conscientizar os homens sobre a importância da saúde sexual no Novembro Azul.

Home – Marco Túlio

Dr. Marco Túlio Cavalcanti Urologista e Andrologista. Disfunção Erétil e Impotência sexual: dê fim a esse tormento. Prótese do Pênis: a retomada da sua vida sexual. Doença Peyronie: correção da curvatura, recuperação do tamanho e calibre do pênis. Reposição Hormonal: retome o seu desempenho.

Instagram: @dr.mtcavalcanti

Youtube: Dr. Marco Túlio Cavalcanti

www.drmarcotuliourologista.com.br

 

Leia também

Infertilidade masculina: reposição hormonal pode influenciar?

Infertilidade masculina: reposição hormonal pode influenciar?

São muitas as razões que levam um homem a sofrer um declínio de testosterona e começar uma reposição hormonal, mas…
Injeção para ereção: quando deve ser indicada e como deve ser feita?

Injeção para ereção: quando deve ser indicada e como deve ser feita?

A injeção para ereção é uma das abordagens utilizadas como tratamento da disfunção erétil.  Saiba neste post para quem esse…
Impotência sexual pode ser genética? E quais outras causas?

Impotência sexual pode ser genética? E quais outras causas?

Atualmente, já existem diversos estudos averiguando se a impotência sexual pode ter uma causa genética. Essa pode ser uma luz…
Translate »