Extensor peniano: entenda a terapia de tração do pênis

Conteúdo

Muitos homens chegam ao consultório com dúvidas se o extensor peniano é realmente um meio eficaz de alterar o tamanho do pênis. Logo de início já é possível dizer que esse aparelho já tem anos de uso dentro da urologia porque serve para diversos problemas de ordem sexual masculina.

Leia esse texto até o final para saber como funciona o extensor peniano, efeitos colaterais e resultados efetivos.

Extensor peniano funciona?

Esse é um dispositivo médico mecânico que promove uma terapia de tração do pênis, que tanto pode servir para um alongamento do pênis e até mesmo como uma reabilitação peniana no pós-operatório de cirurgias pélvicas e até corrigir curvaturas da doença de Peyronie.

Em geral, os extensores penianos têm um anel de plástico que fica na base do pênis flácido e outro anel antes da glande, com um dispositivo de tração que fica disposto nas laterais do órgão sexual. O usuário ajusta as molas, que puxam a haste do pênis com a intenção de literalmente alongar o pênis flácido.

Essa técnica tem uso milenar para promover o alongamento peniano em muitas culturas antigas. Porém, ultimamente tem surgido diversos estudos científicos sobre uso de extensor peniano com resultados que demonstram que esses povos antigos podiam ter razão neste aspecto.

Um estudo de 2011 publicado no Journal of Sexual Medicine, divulgou que o uso do extensor peniano possibilitou aumento de 1,2 cm nos pênis dos homens submetidos ao experimento já nos primeiros três meses.

Estudos mais recentes também mostram resultados positivos alcançados em pacientes mais disciplinados, de acordo com o aparelho e alguns protocolos. Para quem usa o extensor peniano, o antes e depois podem mostrar diferenças com aumento de 0,5 cm a 2,5 cm.

Alguns trabalhos também apontam que quando o paciente usa 6 meses, e para por 3 meses, ao medir o pênis no nono mês, pode perceber que os efeitos de alongamento continuaram, mesmo após a pausa no uso.

Já em consultórios, alguns homens relataram aumentos até mais significativos do pênis com uso de extensores penianos.

Porém, o principal “segredo” é o uso contínuo e bem indicado, que pode promover diferenças já nos primeiros 30 dias para quem tem disciplina.

ebook disfunção erétil

Mas como funciona a tração peniana?

A terapia de tração é suportada pelo princípio de remodelamento tecidual a partir da aplicação de força na intensidade correta e por tempo adequado. Por isso, pode ser uma resposta para aqueles homens que querem saber como aumentar o pênis.

Isso é possível ocorre porque a túnica albugínea, que é a parede do pênis, tem fibras colágenas e cerca de 5% de elastina. Porém, alguns pacientes têm órgãos sexuais mais elásticos do que outros. Dependendo da quantidade de elastina que cada homem tem, os resultados podem ser diferentes.

Esse princípio serviu para balizar alguns estudos relacionados ao aumento do órgão com uso do extensor peniano.

É mais ou menos como funcionam outros tipos de remodelamento do corpo usando métodos de tração. Pode-se citar os aparelhos ortodônticos que conseguem produzir um remodelamento da arcada óssea por meio de uma tração contínua. 

Em outras épocas, as mulheres também usavam espartilhos muito apertados e de forma contínua, de modo a produzir transformações em suas silhuetas.

Mas a grande diferença da aplicação desses métodos do passado, é que agora a indicação do uso do extensor/alongador peniano seja realizado com o acompanhamento de um especialista em medicina sexual, como os urologistas e andrologistas. 

Muitos homens chegam ao consultório com dúvidas se o extensor peniano é realmente um meio eficaz de alterar o tamanho do pênis. Logo de início já é possível dizer que esse aparelho já tem anos de uso dentro da urologia porque serve para diversos problemas de ordem sexual masculina. Leia esse texto até o final para saber como funciona o extensor peniano, efeitos colaterais e resultados efetivos. Extensor peniano funciona? Esse é um dispositivo médico mecânico que promove uma terapia de tração do pênis, que tanto pode servir para um alongamento do pênis e até mesmo como uma reabilitação peniana no pós-operatório de cirurgias pélvicas e até corrigir curvaturas da doença de Peyronie. Em geral, os extensores penianos têm um anel de plástico que fica na base do pênis flácido e outro anel antes da glande, com um dispositivo de tração que fica disposto nas laterais do órgão sexual. O usuário ajusta as molas, que puxam a haste do pênis com a intenção de literalmente alongar o pênis flácido. Essa técnica tem uso milenar para promover o alongamento peniano em muitas culturas antigas. Porém, ultimamente tem surgido diversos estudos científicos sobre uso de extensor peniano com resultados que demonstram que esses povos antigos podiam ter razão neste aspecto. Um estudo de 2011 publicado no Journal of Sexual Medicine, divulgou que o uso do extensor peniano possibilitou aumento de 1,2 cm nos pênis dos homens submetidos ao experimento já nos primeiros três meses. Estudos mais recentes também mostram resultados positivos alcançados em pacientes mais disciplinados, de acordo com o aparelho e alguns protocolos. Para quem usa o extensor peniano, o antes e depois podem mostrar diferenças com aumento de 0,5 cm a 2,5 cm. Alguns trabalhos também apontam que quando o paciente usa 6 meses, e para por 3 meses, ao medir o pênis no nono mês, pode perceber que os efeitos de alongamento continuaram, mesmo após a pausa no uso. Já em consultórios, alguns homens relataram aumentos até mais significativos do pênis com uso de extensores penianos. Porém, o principal “segredo” é o uso contínuo e bem indicado, que pode promover diferenças já nos primeiros 30 dias para quem tem disciplina. Mas como funciona a tração peniana? A terapia de tração é suportada pelo princípio de remodelamento tecidual a partir da aplicação de força na intensidade correta e por tempo adequado. Por isso, pode ser uma resposta para aqueles homens que querem saber como aumentar o pênis. Isso é possível ocorre porque a túnica albugínea, que é a parede do pênis, tem fibras colágenas e cerca de 5% de elastina. Porém, alguns pacientes têm órgãos sexuais mais elásticos do que outros. Dependendo da quantidade de elastina que cada homem tem, os resultados podem ser diferentes. Esse princípio serviu para balizar alguns estudos relacionados ao aumento do órgão com uso do extensor peniano. É mais ou menos como funcionam outros tipos de remodelamento do corpo usando métodos de tração. Pode-se citar os aparelhos ortodônticos que conseguem produzir um remodelamento da arcada óssea por meio de uma tração contínua. Em outras épocas, as mulheres também usavam espartilhos muito apertados e de forma contínua, de modo a produzir transformações em suas silhuetas. Mas a grande diferença da aplicação desses métodos do passado, é que agora a indicação do uso do extensor/alongador peniano seja realizado com o acompanhamento de um especialista em medicina sexual, como os urologistas e andrologistas. Como usar extensor peniano? Os especialistas em medicina sexual vão avaliar os casos individuais e estabelecer alguns protocolos de uso do dispositivo. Além de ensinar a acoplar o dispositivo no órgão, os médicos também vão apontar um tempo de uso que, em geral, pode ser de 3 a 6 horas diariamente. Esse uso deve ser contínuo por pelo menos 6 meses. É importante ressaltar que não é permitido dormir com o aparelho acoplado no órgão sexual, porque o paciente perde o controle do tempo de uso, que se ultrapassar 9 horas pode provocar algumas lesões no órgão. Além disso, o andrologista também vai indicar algumas pausas no uso. Por exemplo, é indicado que os pacientes removam o dispositivo após duas horas de uso e façam uma pausa de 30 minutos até colocar novamente, para evitar isquemia (falta de oxigenação e fluxo sanguíneo) da glande. Alguns incômodos relatados pelos pacientes O uso do aparelho é fácil, porém, nem sempre é um procedimento tão tranquilo para todos os pacientes: Exige disciplina muito grande, por isso, o método não é tão difundido; Não são todos os pacientes que terão condições de permanecer com o aparelho por tantas horas seguidas, especialmente por não conseguir disfarçar o uso do extensor. Complicações do uso Dor (4% dos pacientes); Diminuição temporária da sensibilidade da glande, uma espécie de dormência; Palidez da glande; Dependendo do aparelho, pode causar pequenas escoriações, que vão causar desconfortos. Tipos de extensores penianos Quem quer comprar extensor peniano deve saber que existem diversos tipos, dos mais simples e baratos, que podem custar a partir de R$ 100, aos mais caros e sofisticados, que são importados, com custos bem superiores aos nacionais. Há alguns tipos de aparelho que são mais indicados para extensão do pênis, mas outros também são indicados para curvaturas penianas. A maior parte dos extensores são compostos de anéis para segurar a glande e a base do pênis, tendo barras que seguram os dois pontos de fixação do órgão, para imprimir uma força de tração que gira em torno de 500 gramas a 1,5 quilo. São indicados para esticar continuamente os tecidos do pênis para aumentar seu comprimento. Há também extensor peniano a vácuo, onde a glande fica acoplada e permite um conforto maior. Nestes aparelhos, o uso do vácuo também proporciona um aumento da glande. Alguns tipos de aparelho também permitem o uso com um tipo de faixa elástica que possibilita disfarçar melhor o uso do aparelho. É mais complicado falar sobre qual o melhor extensor peniano porque cada um terá uma finalidade mais específica, mas quem quer um dos melhores pode buscar um modelo desenvolvido pelos especialistas da Clínica Mayo, que é uma das instituições médicas mais renomadas nas questões médicas sexuais. Esse aparelho foi desenvolvido principalmente para homens com Doença de Peyronie porque permite movimentos que vão corrigir as curvaturas. Pelas informações do fabricante, o uso desse dispositivo diariamente por 30 a 90 minutos revelou melhorias significativas nas curvaturas penianas. Outra questão que deve ser levada em consideração é que quem busca um extensor peniano eficaz deve saber que os aparelhos mais simples podem ter material inferior e não permitir um uso pelo tempo indicado pelo médico porque podem começar a machucar o ponto onde o pênis está tracionado após cerca de 40 minutos, em média. Conclusão O extensor peniano vai funcionar tanto para a questão dos alongamentos penianos, na correção das curvaturas da Doença de Peyronie e também em reabilitação peniana após cirurgias de próstata, por exemplo. Porém, é preciso entender que para ter os efeitos desejados e uma satisfação com o uso do aparelho vai depender da expectativa de cada um, porém, para ter o melhor desempenho nesta terapia de tração, o homem deverá ser disciplinado no uso e não ter expectativas irreais. Além disso, é preciso entender que o extensor não serve como abordagem terapêutica para engrossar o pênis.

Como usar extensor peniano?

Os especialistas em medicina sexual vão avaliar os casos individuais e estabelecer alguns protocolos de uso do dispositivo.

Além de ensinar a acoplar o dispositivo no órgão, os médicos também vão apontar um tempo de uso que, em geral, pode ser de 3 a 6 horas diariamente. Esse uso deve ser contínuo por pelo menos 6 meses.

É importante ressaltar que não é permitido dormir com o aparelho acoplado no órgão sexual, porque o paciente perde o controle do tempo de uso, que se ultrapassar  9 horas pode provocar algumas lesões no órgão. Além disso, o andrologista também vai indicar algumas pausas no uso.

Por exemplo, é indicado que os pacientes removam o dispositivo após duas horas de uso e façam uma pausa de 30 minutos até colocar novamente, para evitar isquemia (falta de oxigenação e fluxo sanguíneo) da glande.

Alguns incômodos relatados pelos pacientes

O uso do aparelho é fácil, porém, nem sempre é um procedimento tão tranquilo para todos os pacientes:

  • Exige disciplina muito grande, por isso, o método não é tão difundido;
  • Não são todos os pacientes que terão condições de permanecer com o aparelho por tantas horas seguidas, especialmente por não conseguir disfarçar o uso do extensor.

Complicações do uso Dor (4% dos pacientes); Diminuição temporária da sensibilidade da glande, uma espécie de dormência; Palidez da glande; Dependendo do aparelho, pode causar pequenas escoriações, que vão causar desconfortos.

Tipos de extensores penianos

Quem quer comprar extensor peniano deve saber que existem diversos tipos, dos mais simples e baratos, que podem custar a partir de R$ 100, aos mais caros e sofisticados, que são importados, com custos bem superiores aos nacionais.

Há alguns tipos de aparelho que são mais indicados para extensão do pênis, mas outros também são indicados para curvaturas penianas. 

A maior parte dos extensores são compostos de anéis para segurar a glande e a base do pênis, tendo barras que seguram os dois pontos de fixação do órgão, para imprimir uma força de tração que gira em torno de 500 gramas a 1,5 quilo. São indicados para esticar continuamente os tecidos do pênis para aumentar seu comprimento. 

Há também extensor peniano a vácuo, onde a glande fica acoplada e permite um conforto maior. Nestes aparelhos, o uso do vácuo também proporciona um aumento da glande.

Alguns tipos de aparelho também permitem o uso com um tipo de faixa elástica que possibilita disfarçar melhor o uso do aparelho.

É mais complicado falar sobre qual o melhor extensor peniano porque cada um terá uma finalidade mais específica, mas quem quer um dos melhores pode buscar um modelo desenvolvido pelos especialistas da Clínica Mayo, que é uma das instituições médicas mais renomadas nas questões médicas sexuais. 

Esse aparelho foi desenvolvido principalmente para homens com Doença de Peyronie porque permite movimentos que vão corrigir as curvaturas. Pelas  informações do fabricante, o uso desse dispositivo diariamente por 30 a 90 minutos revelou melhorias significativas nas curvaturas penianas.

Outra questão que deve ser levada em consideração é que quem busca um extensor peniano eficaz deve saber que os aparelhos mais simples podem ter material inferior e não permitir um uso pelo tempo indicado pelo médico porque podem começar a machucar o ponto onde o pênis está tracionado após cerca de 40 minutos, em média.

Conclusão

O extensor peniano vai funcionar tanto para a questão dos alongamentos penianos, na correção das curvaturas da Doença de Peyronie e também em reabilitação peniana após cirurgias de próstata, por exemplo.

Porém, é preciso entender que para ter os efeitos desejados e uma satisfação com o uso do aparelho vai depender da expectativa de cada um, porém, para ter o melhor desempenho nesta terapia de tração, o homem deverá ser disciplinado no uso e não ter expectativas irreais. Além disso, é preciso entender que o extensor não serve como abordagem terapêutica para engrossar o pênis.

Leia mais:

Home – Marco Túlio

Dr. Marco Túlio Cavalcanti Urologista e Andrologista. Disfunção Erétil e Impotência sexual: dê fim a esse tormento. Prótese do Pênis: a retomada da sua vida sexual. Doença Peyronie: correção da curvatura, recuperação do tamanho e calibre do pênis. Reposição Hormonal: retome o seu desempenho.

Instagram: @dr.mtcavalcanti

Youtube: Dr. Marco Túlio Cavalcanti

www.drmarcotuliourologista.com.br

 

Leia também

Infertilidade masculina: reposição hormonal pode influenciar?

Infertilidade masculina: reposição hormonal pode influenciar?

São muitas as razões que levam um homem a sofrer um declínio de testosterona e começar uma reposição hormonal, mas…
Injeção para ereção: quando deve ser indicada e como deve ser feita?

Injeção para ereção: quando deve ser indicada e como deve ser feita?

A injeção para ereção é uma das abordagens utilizadas como tratamento da disfunção erétil.  Saiba neste post para quem esse…
Impotência sexual pode ser genética? E quais outras causas?

Impotência sexual pode ser genética? E quais outras causas?

Atualmente, já existem diversos estudos averiguando se a impotência sexual pode ter uma causa genética. Essa pode ser uma luz…
Translate »