Disfunção erétil em jovens: entenda o que causa e como tratar

Conteúdo

A disfunção erétil em jovens causa um grande impacto na qualidade de vida dos homens, deflagra problemas psicológicos e pode até prejudicar a vida profissional.

Esse é um assunto que merece bastante atenção porque muitas pessoas pensam que apenas homens mais velhos podem perder a potência sexual, porém, estudos nacionais demonstram que 25 milhões de homens no Brasil podem sofrer de algum grau de impotência a partir dos 18 anos.

É certo que os percentuais aumentam conforme a faixa etária avança, mas entenda que os mais jovens não estão isentos do problema. Leia mais.

Disfunção erétil em jovens causa impacto na qualidade de vida

Com quantos anos o homem perde a potência? Muitas pessoas acreditam que esse problema só vai acometer pacientes com idades acima de 40 anos. Mas o que tem sido constatado é que esse problema de disfunção erétil em jovens tem crescido e pode atingir homens na casa dos 20 e 30 anos com uma frequência maior do que se imagina. 

A disfunção erétil pode afetar o comportamento desse jovem, os seus resultados no trabalho e até o sentido de felicidade que ele tem ficam comprometidos, porque vive uma situação de perda de confiança e autoestima.

Em muitos casos, o jovem tem vergonha e sente dificuldades em buscar ajuda médica; em outros, quando busca um profissional pode não se sentir bem atendido, porque passa por uma consulta sem aprofundamento, seja porque o médico não tem conhecimento especializado sobre o assunto ou mesmo por ser um atendimento muito rápido, realizado por consultas de convênio ou do SUS.

Então, muitas vezes, nessa consulta não chega ao cerne da questão, porque nem todas as dúvidas foram respondidas e o caso pode ser avaliado de forma superficial. 

A disfunção erétil psicogênica não é o único tipo que pode atingir os mais jovens, com a resistência em buscar um médico especialista, os homens buscam ajuda na internet para resolver o problema, e caem em verdadeiras armadilhas, já que na rede existem soluções milagrosas para tudo, mas que nem sempre são verdadeiras.

Para entender como essa disfunção sexual ocorre, especialmente, quando é uma disfunção erétil em jovens, é preciso entender os 3 tipos de ereção:

Tipos de ereção

  • Psicogênica: essa ereção é acionada por estímulos sensoriais e fantasias, quando o homem vê algo, toca ou cheira, e o mecanismo da rigidez peniana é acionado por áreas específicas do cérebro;
  • Reflexa: a partir de um estímulo tátil, o pênis reage com uma ereção, porque ao ser manipulado, os nervos são acionados e ocorre o estímulo erétil;
  • Noturna: é a ereção acionada durante o sono mais profundo, que ativa algumas áreas do cérebro responsáveis pela função erétil. Por isso, o homem acorda com o pênis ereto pela manhã, porque o pico de testosterona também é neste período matutino. 

A disfunção erétil em jovens causa um grande impacto na qualidade de vida dos homens, deflagra problemas psicológicos e pode até prejudicar a vida profissional. Esse é um assunto que merece bastante atenção porque muitas pessoas pensam que apenas homens mais velhos podem perder a potência sexual, porém, estudos nacionais demonstram que 25 milhões de homens no Brasil podem sofrer de algum grau de impotência a partir dos 18 anos. É certo que os percentuais aumentam conforme a faixa etária avança, mas entenda que os mais jovens não estão isentos do problema. Leia mais. Disfunção erétil em jovens causa impacto na qualidade de vida Com quantos anos o homem perde a potência? Muitas pessoas acreditam que esse problema só vai acometer pacientes com idades acima de 40 anos. Mas o que tem sido constatado é que esse problema de disfunção erétil em jovens tem crescido e pode atingir homens na casa dos 20 e 30 anos com uma frequência maior do que se imagina. A disfunção erétil pode afetar o comportamento desse jovem, os seus resultados no trabalho e até o sentido de felicidade que ele tem ficam comprometidos, porque vive uma situação de perda de confiança e autoestima. Em muitos casos, o jovem tem vergonha e sente dificuldades em buscar ajuda médica; em outros, quando busca um profissional pode não se sentir bem atendido, porque passa por uma consulta sem aprofundamento, seja porque o médico não tem conhecimento especializado sobre o assunto ou mesmo por ser um atendimento muito rápido, realizado por consultas de convênio ou do SUS. Então, muitas vezes, nessa consulta não chega ao cerne da questão, porque nem todas as dúvidas foram respondidas e o caso pode ser avaliado de forma superficial. A disfunção erétil psicogênica não é o único tipo que pode atingir os mais jovens, com a resistência em buscar um médico especialista, os homens buscam ajuda na internet para resolver o problema, e caem em verdadeiras armadilhas, já que na rede existem soluções milagrosas para tudo, mas que nem sempre são verdadeiras. Para entender como essa disfunção sexual ocorre, especialmente, quando é uma disfunção erétil em jovens, é preciso entender os 3 tipos de ereção: Tipos de ereção Psicogênica: essa ereção é acionada por estímulos sensoriais e fantasias, quando o homem vê algo, toca ou cheira, e o mecanismo da rigidez peniana é acionado por áreas específicas do cérebro; Reflexa: a partir de um estímulo tátil, o pênis reage com uma ereção, porque ao ser manipulado, os nervos são acionados e ocorre o estímulo erétil; Noturna: é a ereção acionada durante o sono mais profundo, que ativa algumas áreas do cérebro responsáveis pela função erétil. Por isso, o homem acorda com o pênis ereto pela manhã, porque o pico de testosterona também é neste período matutino. O que pode causar disfunção erétil em jovens? As causas da disfunção erétil em jovens precisa ser investigada porque existem várias questões que podem estar associadas à impotência, como: Causas psicológicas puras; Hormonais: baixa testosterona (hipogonadismo), hiperprolactinemia, problemas na tireoide, etc; Vasculares: relacionadas à vascularização do pênis; Neurogênicas: problemas que afetem o cérebro, a medula ou a inervação periférica do pênis; Uso de certas medicações: efeitos colaterais de alguns remédios podem provocar distúrbios na libido, disfunções ejaculatórias e eréteis; Traumas: fraturas de pênis, etc; Tecidual: aumento de fibras colágenas e diminuição de fibras elásticas no interior do pênis; Uso de drogas; Doença de Peyronie: pênis sofre curvaturas anômalas que levam à impotência; Iatrogenia: ligada a cirurgias prévias; Metabólicas: avaliações de condições de triglicérides, colesterol, glicose, etc. Porém, em muitos casos, o paciente relata ao médico que já fez exames que deram um resultado considerado normal, mas ele sente que a causa da própria disfunção não é meramente psicológica, existem outras motivações que envolvem a incapacidade de ter e manter a ereção. Disfunção erétil em homens jovens: causa psicológica A impotência sexual ligada às causas psicológicas puras são características. Por exemplo: o paciente tem boa ereção noturna e reflexa, mas quando ocorre o momento da penetração sexual com a parceria, perde a rigidez (pênis amolece). Por que isso ocorre? Normalmente, esses pacientes podem sofrer de uma hiper descarga adrenérgica (noradrenalina, adrenalina, etc) no organismo, assumir uma hiperresponsividade na hora da penetração, e então a ereção fica fraca. Ficam com o que é conhecido como ansiedade de desempenho. Além disso, o paciente também pode sentir que desempenho sexual é melhor com algumas pessoas do que com outras. Isso significa que com certos parceiros ou parceiras, falta atração suficiente e a química entre o casal não é acionada. Assim, com certas pessoas ele têm impotência, mas com outras não. Disfunção erétil prolongada durante a vida toda Muitos pacientes jovens também relatam que durante toda a vida não tiveram uma ereção tão eficiente, nem mesmo nas ereções noturnas ou reflexas. Logo aos 25 ou 30 anos podem manifestar esse problema sem nenhuma questão psicogênica associada. Eles percebem que a ereção está ficando mais fraca, fazem exames para verificar a questão metabólica e tudo está normal. Esse problema pode ocorrer porque os indivíduos são diferentes e manifestam funções orgânicas de forma diferente. Em alguns casos, a função erétil do próprio paciente pode não ser tão eficiente por questões anatômicas, enzimáticas ou até mesmo quantidade de receptores insuficiente. Essas pessoas não têm disfunção erétil psicogênica, mas devido a esses problemas, que não serão constatados em exames, sofrem de impotência. A boa notícia é que essa disfunção pode ser tratada sim. Evolução da sociedade e exposição à pornografia A sociedade vem caminhando com uma rapidez incrível em aspectos comportamentais e tecnológicos. Hoje, tem sido muito fácil um jovem se expor à pornografia na internet em níveis que vão gerar um vício e se tornar um problema na vida real. Nas produções pornográficas, as performances e facilidades são muito diferentes do cotidiano, isso pode gerar um problema quando o jovem tiver uma relação sexual, com pessoas reais. Surge a ansiedade de desempenho. A ciência ainda está estudando os efeitos das mudanças comportamentais na sociedade. Antigamente até mesmo uma saia mais curta ou um decote menos profundo poderia gerar estímulos sexuais intensos nos homens. Hoje é muito mais fácil observar o corpo humano nu do que antes, seja de forma real ou pela internet. Atualmente, com essa banalização da nudez, o estímulo sexual em alguns homens pode ser um pouco mais difícil quando chega em sua situação de relação sexual real. Veja mais neste vídeo: https://www.drmarcotuliourologista.com.br/pornografia-digital-nofap-disfuncao-eretil/ Disfunção erétil em jovens: tratamento O tratamento para disfunção erétil em jovens vai depender das causas que levaram ao problema sexual. Por exemplo, se for uma questão psicológica que está levando a uma ansiedade de desempenho, o problema pode ser tratado associando terapia e medicações que vão ajudar na função erétil. Vale dizer que se as causas forem outras também vale buscar ajuda para resolver o problema logo cedo com uma abordagem multidisciplinar, para amparar o paciente em diversas frentes terapêuticas. Em casos que a impotência está associada a uma questão hormonal, pode ser realizada uma reposição hormonal masculina, ou mesmo se a disfunção erétil está relacionada a uma questão vascular, a terapia de ondas de choque pode ser uma das soluções. Um médico especializado no problema também poderá prescrever a dosagem exata dos remédios que auxiliam na função erétil. Assim, evita-se que os jovens invistam na automedicação, com o risco de até deflagrar priapismos (ereções prolongadas por horas), que podem causar prejuízos ao órgão sexual. Conclusão Agora que já sabe mais sobre disfunção erétil em jovens, como tratar e o que causa, a melhor medida é procurar um médico especializado nas questões sexuais masculinas que é o andrologista, para tratar o problema de forma antecipada, focada e obter melhores resultados. Há diversas abordagens para todas as causas citadas acima para proporcionar mais qualidade de vida aos homens que estão sofrendo com esses problemas sexuais.

O que pode causar disfunção erétil em jovens?

As causas da disfunção erétil em jovens precisa ser investigada porque existem várias questões que podem estar associadas à impotência, como:

Causas psicológicas puras; Hormonais: baixa testosterona (hipogonadismo), hiperprolactinemia, problemas na tireoide, etc; Vasculares: relacionadas à vascularização do pênis; Neurogênicas: problemas que afetem o cérebro, a medula ou a inervação periférica do pênis; Uso de certas medicações: efeitos colaterais de alguns remédios podem provocar distúrbios na libido, disfunções ejaculatórias e eréteis; Traumas: fraturas de pênis, etc; Tecidual: aumento de fibras colágenas e diminuição de fibras elásticas no interior do pênis; Uso de drogas; Doença de Peyronie: pênis sofre curvaturas anômalas que levam à impotência; Iatrogenia: ligada a cirurgias prévias; Metabólicas: avaliações de condições de triglicérides, colesterol, glicose, etc.

  • Hormonais: baixa testosterona (hipogonadismo), hiperprolactinemia, problemas na tireoide, etc;
  • Vasculares: relacionadas à vascularização do pênis;
  • Neurogênicas: problemas que afetem o cérebro, a medula ou a inervação periférica do pênis;
  • Uso de certas medicações: efeitos colaterais de alguns remédios podem provocar distúrbios na libido, disfunções ejaculatórias e eréteis;
  • Traumas: fraturas de pênis, etc;
  • Tecidual: aumento de fibras colágenas e diminuição de fibras elásticas no interior do pênis;
  • Doença de Peyronie: pênis sofre curvaturas anômalas que levam à impotência;
  • Iatrogenia: ligada a cirurgias prévias;
  • Metabólicas: avaliações de condições de triglicérides, colesterol, glicose, etc.

Porém,  em muitos casos, o paciente relata ao médico que já fez exames que deram um resultado considerado normal, mas ele sente que a causa da própria disfunção não é meramente psicológica, existem outras motivações que envolvem a incapacidade de ter e manter a ereção.

Disfunção erétil em homens jovens: causa psicológica

A impotência sexual ligada às causas psicológicas puras são características. Por exemplo:  o paciente tem boa ereção noturna e reflexa, mas quando ocorre o momento da penetração sexual com a parceria,  perde a rigidez (pênis amolece).

Por que isso ocorre? Normalmente, esses pacientes podem sofrer de uma hiperdescarga adrenérgica (noradrenalina, adrenalina, etc)  no organismo, assumir uma hiperresponsividade na hora da penetração, e então a ereção fica fraca. Ficam com o que é conhecido como ansiedade de desempenho.

Além disso, o paciente também pode sentir que desempenho sexual é melhor com algumas pessoas do que com outras. Isso significa que com certos parceiros ou parceiras, falta atração suficiente e a química entre o casal não é acionada. Assim, com certas pessoas ele têm impotência, mas com outras não.

Disfunção erétil prolongada durante a vida toda

Muitos pacientes jovens também relatam que durante toda a vida não tiveram uma ereção tão eficiente, nem mesmo nas ereções noturnas ou reflexas. Logo aos 25 ou  30 anos podem manifestar esse problema sem nenhuma questão psicogênica associada.

Eles percebem que a ereção está ficando mais fraca, fazem exames para verificar a questão metabólica e tudo está normal. 

Esse problema pode ocorrer porque os indivíduos são diferentes e manifestam funções orgânicas de forma diferente. Em alguns casos, a função erétil do próprio paciente pode não ser tão eficiente por questões anatômicas, enzimáticas ou até mesmo quantidade de receptores insuficiente.

Essas pessoas não têm disfunção erétil psicogênica, mas devido a esses problemas, que não serão constatados em exames, sofrem de impotência. A boa notícia é que essa disfunção pode ser tratada sim.

Ebook Disfunção erétil

Evolução da sociedade e exposição à pornografia

A sociedade vem caminhando com uma rapidez incrível em aspectos comportamentais e tecnológicos.

Hoje, tem sido muito fácil um jovem se expor à pornografia na internet em níveis que vão gerar um vício e se tornar um problema na vida real. Nas produções pornográficas, as performances e facilidades são muito diferentes do cotidiano, isso pode gerar um problema quando o jovem tiver uma relação sexual, com pessoas reais.  Surge a ansiedade de desempenho.

A ciência ainda está estudando os efeitos das mudanças comportamentais na sociedade. Antigamente até mesmo uma saia mais curta ou um decote menos profundo poderia gerar estímulos sexuais intensos nos homens. Hoje é muito mais fácil observar o corpo humano nu do que antes, seja de forma real ou pela internet. Atualmente, com essa banalização da nudez, o estímulo sexual em alguns homens pode ser um pouco mais difícil quando chega em sua situação de relação sexual real.

Veja mais neste vídeo:

Disfunção erétil em jovens: tratamento

O tratamento para disfunção erétil em jovens vai depender das causas que levaram ao problema sexual. Por exemplo, se for uma questão psicológica que está levando a uma ansiedade de desempenho, o problema  pode ser tratado associando terapia e medicações que vão ajudar na função erétil.

Vale dizer que se as causas forem outras também vale buscar ajuda para resolver o problema logo cedo com uma abordagem multidisciplinar, para amparar o paciente em diversas frentes terapêuticas.

Em casos que a impotência está associada a uma questão hormonal, pode ser realizada uma reposição hormonal masculina, ou mesmo se a disfunção erétil está relacionada a uma questão vascular, a terapia de ondas de choque pode ser uma das soluções.

Um médico especializado no problema também poderá prescrever a dosagem exata dos remédios que auxiliam na função erétil. Assim, evita-se que os jovens invistam na automedicação, com o risco de até deflagrar priapismos (ereções prolongadas por horas), que podem causar prejuízos ao órgão sexual.

Agora que já sabe mais sobre disfunção erétil em jovens, como tratar e o que causa, a melhor medida é procurar um médico especializado nas questões sexuais masculinas que é o andrologista, para tratar o problema de forma antecipada, focada e obter melhores resultados. 

Há diversas abordagens para todas as causas citadas acima para proporcionar mais qualidade de vida aos homens que estão sofrendo com esses problemas sexuais.

Home – Marco Túlio

Dr. Marco Túlio Cavalcanti Urologista e Andrologista. Disfunção Erétil e Impotência sexual: dê fim a esse tormento. Prótese do Pênis: a retomada da sua vida sexual. Doença Peyronie: correção da curvatura, recuperação do tamanho e calibre do pênis. Reposição Hormonal: retome o seu desempenho.

Instagram: @dr.mtcavalcanti

Youtube: Dr. Marco Túlio Cavalcanti

www.drmarcotuliourologista.com.br

 

Leia também

Disfunção sexual: quais os principais problemas dos homens?

Disfunção sexual: quais os principais problemas dos homens?

Os homens podem passar por inúmeras disfunções sexuais que colocam em risco a satisfação plena neste campo. Leia esse texto…
Dor no pênis: conheça 17 causas

Dor no pênis: conheça 17 causas

  A dor no pênis não é uma ocorrência muito comum, como as dores musculares ou até dores de cabeça,…
Infertilidade masculina: reposição hormonal pode influenciar?

Infertilidade masculina: reposição hormonal pode influenciar?

São muitas as razões que levam um homem a sofrer um declínio de testosterona e começar uma reposição hormonal, mas…
Translate »