Como fica o desempenho masculino depois dos 40 anos?

Conteúdo

O desempenho masculino após os 40 anos pode decair? Esse problema ocorre com todos os homens? Tem como prevenir o fato ou tratar problemas no desempenho sexual masculino? Essas são algumas das grandes dúvidas que surgem no consultório do andrologista.

Leia esse post para entender melhor sobre performance masculina nesta fase e o que pode ser feito pelos pacientes.

Como melhorar o desempenho sexual masculino?

Melhorar o desempenho sexual é um tema que pode começar a povoar os pensamentos dos homens a partir dos 40 anos, porque deste momento em diante eles podem sentir que já não são os mesmos.

Mas, com o aumento da longevidade masculina, o homem está procurando também mais qualidade de vida. Dados do IBGE apontam que a expectativa média de vida do brasileiro é em torno de 76 anos. Aqueles que têm condições de buscar mais informações sobre formas de prevenção às doenças e serviços de saúde podem viver ainda muito mais que isso.

Além disso, não basta chegar a uma idade avançada, é preciso chegar bem nesta fase, com força, vitalidade e independência.

Mudanças sociais refletem novas expectativas

Melhorar o desempenho masculino pode refletir um desejo de manter a mesma performance da juventude. Será que isso é possível? Os novos tempos exigem uma busca maior por uma desempenho masculino contínuo?

O mundo mudou, o estilo de vida das pessoas mudou, o que faz com que muitos homens optem por casamentos mais tardios ou até queiram investir em novos relacionamentos após um casamento longo. Então, por que não buscar um melhor desempenho masculino?

Por isso, dúvidas sobre como aumentar a testosterona,  como aumentar o pênis, novas técnicas para cirurgia peniana e prevenção ou tratamento da impotência são assuntos que surgem cada vez mais nos consultórios médicos.

Com essa nova expectativa, muitos homens podem começar também a buscar na internet soluções “milagrosas” como remédio natural para desempenho masculino ou alimentos que melhoram o desempenho sexual masculino.

O desempenho masculino após os 40 anos pode decair? Esse problema ocorre com todos os homens? Tem como prevenir o fato ou tratar problemas no desempenho sexual masculino? Essas são algumas das grandes dúvidas que surgem no consultório do andrologista. Leia esse post para entender melhor sobre performance masculina nesta fase e o que pode ser feito pelos pacientes. Como melhorar o desempenho sexual masculino? Melhorar o desempenho sexual é um tema que pode começar a povoar os pensamentos dos homens a partir dos 40 anos, porque deste momento em diante eles podem sentir que já não são os mesmos. Mas, com o aumento da longevidade masculina, o homem está procurando também mais qualidade de vida. Dados do IBGE apontam que a expectativa média de vida do brasileiro é em torno de 76 anos. Aqueles que têm condições de buscar mais informações sobre formas de prevenção às doenças e serviços de saúde podem viver ainda muito mais que isso. Além disso, não basta chegar a uma idade avançada, é preciso chegar bem nesta fase, com força, vitalidade e independência. Mudanças sociais refletem novas expectativas Melhorar o desempenho masculino pode refletir um desejo de manter a mesma performance da juventude. Será que isso é possível? Os novos tempos exigem uma busca maior por uma desempenho masculino contínuo? O mundo mudou, o estilo de vida das pessoas mudou, o que faz com que muitos homens optem por casamentos mais tardios ou até queiram investir em novos relacionamentos após um casamento longo. Então, por que não buscar um melhor desempenho masculino? Por isso, dúvidas sobre como aumentar a testosterona, como aumentar o pênis, novas técnicas para cirurgia peniana e prevenção ou tratamento da impotência são assuntos que surgem cada vez mais nos consultórios médicos. Com essa nova expectativa, muitos homens podem começar também a buscar na internet soluções “milagrosas” como remédio natural para desempenho masculino ou alimentos que melhoram o desempenho sexual masculino. Como aumentar o desempenho masculino? Com a mudança da dinâmica social, muitas vezes, os homens estão no seu auge --inclusive profissional-- na casa dos 50 anos, portanto, também vão querer que esse bom momento seja refletido no sexo. E quando se fala em bom desempenho masculino não tem como não se associá-lo com a testosterona, que é o principal hormônio sexual dos homens, embora também esteja presente no organismo feminino. Na juventude, esse hormônio está no auge. Mas, em muitos casos, começa a cair a partir dos 30/40 anos. Alguns estudos médicos apontam que o nível de testosterona no organismo masculino cai 1% ao ano após os 40 anos. Já a testosterona livre, que é mais eficaz e atua nos receptores, cai 2% ao ano após essa idade. A testosterona está ligada a 3 aspectos: comportamental, físico e sexual, isso significa que a queda do hormônio vai afetar também a disposição física, força, vitalidade, cognição, emoções e performance sexual. Na parte comportamental, pacientes com testosterona baixa podem manifestar um cansaço excessivo, alterações do sono e da memória, problemas cognitivos, diminuição do bem-estar e até depressão. Já na parte física, podem perceber que diminuiu a força, a explosão e a massa musculares, diminuição da massa óssea (alguns pacientes podem desenvolver osteoporose e osteopenia) e aumento da gordura abdominal. No aspecto sexual, ocorre a diminuição do desejo sexual e da potência sexual, com diminuição das ereções matinais e da qualidade da ereção. Hábitos de vida e reposição do hormônio melhoram desempenho Embora a idade cronológica e o histórico familiar não possam ser alterados, toda essa diminuição da performance masculina pode ser prevenida e tratada. Mesmo quando a pessoa tem um histórico de doenças na família, se tiver um estilo de vida saudável poderá nunca desenvolver o mesmo problema de seus antepassados. No entanto, quem já está com os sintomas de testosterona baixa e tem problemas como diabetes, pressão alta e outras doenças, poderá também remediar e transformar o estilo de vida para ficar com parâmetros normais e até muito melhores. Também é possível acertar as taxas da testosterona com uma reposição hormonal masculina, com acompanhamento e tratamento individualizado. Esse será também um remédio para melhorar o desempenho masculino. Além da baixa hormonal, é possível prevenir outro problema que ocorre com os homens a partir dos 40 anos: o desgaste do tecido peniano. Estudos revelam que a quantidade músculos lisos no tecido cavernoso diminuem com o tempo, assim a função erétil também pode diminuir por esse motivo, ou seja, a qualidade da ereção pode diminuir. Um estudo aponta que, nesta fase, apenas 38% dos homens estão satisfeitos com a ereção e rigidez peniana. Essa ereção incompleta que pode acontecer nesta fase é possível de ser prevenida, com métodos não invasivos, e também tratada para que a função peniana volte ao normal. Atitudes que ajudam a melhorar o desempenho Buscar um acompanhamento médico constante vai ajudar que os homens tenham um melhor desempenho melhor em várias áreas de sua vida, porque estará sendo aconselhado com frequência sobre as atitudes corretas e medidas a serem tomadas, de forma criteriosa. Quando o médico faz uma prescrição de uma reposição hormonal, ele poderá ajudar o homem a entender como melhorar o desempenho sexual masculino, usando a testosterona de 3 modos: injetável, gel ou implantes. Cada caso será avaliado, a dosagem ajustada e a forma de tratamento será descrita individualmente, ou seja, cada homem tem uma necessidade de reposição diferente, por isso, não adianta tentar usar a mesma receita de um amigo ou parente. Ao começar a medicação, o paciente poderá perceber rapidamente uma melhora no seu estado geral. Além disso, o médico também poderá indicar a realização de uma atividade física regular, que vai ajudar a aumentar a performance sexual, porque os exercícios ajudam a melhorar a circulação sanguínea (o que favorece a vascularização peniana), aumenta a força, flexibilidade e a preservação da musculatura, além de gerar mais disposição e uma sensação de autoconfiança e bem-estar. Vale lembrar que alguns exercícios também favorecem o assoalho pélvico, que vão ajudar a fortalecer a musculatura e a resistência da região, o que poderá contribuir com uma melhor ereção e até ejaculação. Entre essas medidas, os médicos também podem falar sobre alimentos que podem prejudicar o desempenho masculino e, portanto, devem ser evitados, como as frituras, os açúcares em excesso e o álcool. Conclusão O acompanhamento médico para homens a partir dos 40 anos é uma atitude mais que necessária. Na verdade, essa prevenção deve começar antes desta fase, a exemplo do que as mulheres fazem, começando a se cuidar muito mais cedo, o que leva a população feminina a uma longevidade 7 anos maior do que os homens. Esse tratamento preventivo para o desempenho masculino em todas as áreas e uma renovação de estilo de vida, poderá fazer o homem entrar em um ciclo virtuoso de melhor desempenho masculino, mais qualidade de vida e aumento da longevidade. Essa consciência é fundamental e precisa ser desenvolvida urgentemente nos homens, porque quem não encontra tempo para cuidar da saúde enquanto é mais jovem vai, inevitavelmente, ter que encontrar tempo para cuidar da doença futura.

Como aumentar o desempenho masculino?

Com a mudança da dinâmica social, muitas vezes, os homens estão no seu auge –inclusive profissional– na casa dos 50 anos, portanto, também vão querer que esse bom momento seja refletido no sexo.

E quando se fala em bom desempenho masculino não tem como não se associá-lo com a testosterona, que é o principal hormônio sexual dos homens, embora também esteja presente no organismo feminino. Na juventude, esse hormônio está no auge. Mas, em muitos casos, começa a cair a partir dos 30/40 anos.

Alguns estudos médicos apontam que o nível de testosterona no organismo masculino cai 1% ao ano após os 40 anos. Já a testosterona livre, que é mais eficaz e atua nos receptores, cai 2% ao ano após essa idade.

A testosterona está ligada a 3 aspectos: comportamental, físico e sexual, isso significa que a queda do hormônio vai afetar também a disposição física, força, vitalidade, cognição, emoções e performance sexual.

Na parte comportamental, pacientes com testosterona baixa podem manifestar um cansaço excessivo, alterações do sono e da memória, problemas cognitivos, diminuição do bem-estar e até depressão.  

Já na parte física, podem perceber que diminuiu a força, a explosão e a massa musculares, diminuição da massa óssea (alguns pacientes podem desenvolver osteoporose e osteopenia) e aumento da gordura abdominal.

No aspecto sexual, ocorre a diminuição do desejo sexual e da potência sexual, com diminuição das ereções matinais e da qualidade da ereção.

O desempenho masculino após os 40 anos pode decair? Esse problema ocorre com todos os homens? Tem como prevenir o fato ou tratar problemas no desempenho sexual masculino? Essas são algumas das grandes dúvidas que surgem no consultório do andrologista. Leia esse post para entender melhor sobre performance masculina nesta fase e o que pode ser feito pelos pacientes. Como melhorar o desempenho sexual masculino? Melhorar o desempenho sexual é um tema que pode começar a povoar os pensamentos dos homens a partir dos 40 anos, porque deste momento em diante eles podem sentir que já não são os mesmos. Mas, com o aumento da longevidade masculina, o homem está procurando também mais qualidade de vida. Dados do IBGE apontam que a expectativa média de vida do brasileiro é em torno de 76 anos. Aqueles que têm condições de buscar mais informações sobre formas de prevenção às doenças e serviços de saúde podem viver ainda muito mais que isso. Além disso, não basta chegar a uma idade avançada, é preciso chegar bem nesta fase, com força, vitalidade e independência. Mudanças sociais refletem novas expectativas Melhorar o desempenho masculino pode refletir um desejo de manter a mesma performance da juventude. Será que isso é possível? Os novos tempos exigem uma busca maior por uma desempenho masculino contínuo? O mundo mudou, o estilo de vida das pessoas mudou, o que faz com que muitos homens optem por casamentos mais tardios ou até queiram investir em novos relacionamentos após um casamento longo. Então, por que não buscar um melhor desempenho masculino? Por isso, dúvidas sobre como aumentar a testosterona, como aumentar o pênis, novas técnicas para cirurgia peniana e prevenção ou tratamento da impotência são assuntos que surgem cada vez mais nos consultórios médicos. Com essa nova expectativa, muitos homens podem começar também a buscar na internet soluções “milagrosas” como remédio natural para desempenho masculino ou alimentos que melhoram o desempenho sexual masculino. Como aumentar o desempenho masculino? Com a mudança da dinâmica social, muitas vezes, os homens estão no seu auge --inclusive profissional-- na casa dos 50 anos, portanto, também vão querer que esse bom momento seja refletido no sexo. E quando se fala em bom desempenho masculino não tem como não se associá-lo com a testosterona, que é o principal hormônio sexual dos homens, embora também esteja presente no organismo feminino. Na juventude, esse hormônio está no auge. Mas, em muitos casos, começa a cair a partir dos 30/40 anos. Alguns estudos médicos apontam que o nível de testosterona no organismo masculino cai 1% ao ano após os 40 anos. Já a testosterona livre, que é mais eficaz e atua nos receptores, cai 2% ao ano após essa idade. A testosterona está ligada a 3 aspectos: comportamental, físico e sexual, isso significa que a queda do hormônio vai afetar também a disposição física, força, vitalidade, cognição, emoções e performance sexual. Na parte comportamental, pacientes com testosterona baixa podem manifestar um cansaço excessivo, alterações do sono e da memória, problemas cognitivos, diminuição do bem-estar e até depressão. Já na parte física, podem perceber que diminuiu a força, a explosão e a massa musculares, diminuição da massa óssea (alguns pacientes podem desenvolver osteoporose e osteopenia) e aumento da gordura abdominal. No aspecto sexual, ocorre a diminuição do desejo sexual e da potência sexual, com diminuição das ereções matinais e da qualidade da ereção. Hábitos de vida e reposição do hormônio melhoram desempenho Embora a idade cronológica e o histórico familiar não possam ser alterados, toda essa diminuição da performance masculina pode ser prevenida e tratada. Mesmo quando a pessoa tem um histórico de doenças na família, se tiver um estilo de vida saudável poderá nunca desenvolver o mesmo problema de seus antepassados. No entanto, quem já está com os sintomas de testosterona baixa e tem problemas como diabetes, pressão alta e outras doenças, poderá também remediar e transformar o estilo de vida para ficar com parâmetros normais e até muito melhores. Também é possível acertar as taxas da testosterona com uma reposição hormonal masculina, com acompanhamento e tratamento individualizado. Esse será também um remédio para melhorar o desempenho masculino. Além da baixa hormonal, é possível prevenir outro problema que ocorre com os homens a partir dos 40 anos: o desgaste do tecido peniano. Estudos revelam que a quantidade músculos lisos no tecido cavernoso diminuem com o tempo, assim a função erétil também pode diminuir por esse motivo, ou seja, a qualidade da ereção pode diminuir. Um estudo aponta que, nesta fase, apenas 38% dos homens estão satisfeitos com a ereção e rigidez peniana. Essa ereção incompleta que pode acontecer nesta fase é possível de ser prevenida, com métodos não invasivos, e também tratada para que a função peniana volte ao normal. Atitudes que ajudam a melhorar o desempenho Buscar um acompanhamento médico constante vai ajudar que os homens tenham um melhor desempenho melhor em várias áreas de sua vida, porque estará sendo aconselhado com frequência sobre as atitudes corretas e medidas a serem tomadas, de forma criteriosa. Quando o médico faz uma prescrição de uma reposição hormonal, ele poderá ajudar o homem a entender como melhorar o desempenho sexual masculino, usando a testosterona de 3 modos: injetável, gel ou implantes. Cada caso será avaliado, a dosagem ajustada e a forma de tratamento será descrita individualmente, ou seja, cada homem tem uma necessidade de reposição diferente, por isso, não adianta tentar usar a mesma receita de um amigo ou parente. Ao começar a medicação, o paciente poderá perceber rapidamente uma melhora no seu estado geral. Além disso, o médico também poderá indicar a realização de uma atividade física regular, que vai ajudar a aumentar a performance sexual, porque os exercícios ajudam a melhorar a circulação sanguínea (o que favorece a vascularização peniana), aumenta a força, flexibilidade e a preservação da musculatura, além de gerar mais disposição e uma sensação de autoconfiança e bem-estar. Vale lembrar que alguns exercícios também favorecem o assoalho pélvico, que vão ajudar a fortalecer a musculatura e a resistência da região, o que poderá contribuir com uma melhor ereção e até ejaculação. Entre essas medidas, os médicos também podem falar sobre alimentos que podem prejudicar o desempenho masculino e, portanto, devem ser evitados, como as frituras, os açúcares em excesso e o álcool. Conclusão O acompanhamento médico para homens a partir dos 40 anos é uma atitude mais que necessária. Na verdade, essa prevenção deve começar antes desta fase, a exemplo do que as mulheres fazem, começando a se cuidar muito mais cedo, o que leva a população feminina a uma longevidade 7 anos maior do que os homens. Esse tratamento preventivo para o desempenho masculino em todas as áreas e uma renovação de estilo de vida, poderá fazer o homem entrar em um ciclo virtuoso de melhor desempenho masculino, mais qualidade de vida e aumento da longevidade. Essa consciência é fundamental e precisa ser desenvolvida urgentemente nos homens, porque quem não encontra tempo para cuidar da saúde enquanto é mais jovem vai, inevitavelmente, ter que encontrar tempo para cuidar da doença futura.

Hábitos de vida e reposição do hormônio melhoram desempenho

Embora a idade cronológica e o histórico familiar não possam ser alterados, toda essa diminuição da performance masculina pode ser prevenida e tratada.

Mesmo quando a pessoa tem um histórico de doenças na família, se tiver um estilo de vida saudável poderá nunca desenvolver o mesmo problema de seus antepassados.

No entanto, quem já está com os sintomas de testosterona baixa e tem problemas como diabetes, pressão alta e outras doenças, poderá também remediar e transformar o estilo de vida para ficar com parâmetros normais e até muito melhores.

Também é possível acertar as taxas da testosterona com uma reposição hormonal masculina, com acompanhamento e tratamento individualizado. Esse será também um remédio para melhorar o desempenho masculino.

Além da baixa hormonal, é possível prevenir outro problema que ocorre com os homens a partir dos 40 anos: o desgaste do tecido peniano. Estudos revelam que a quantidade  músculos lisos no tecido cavernoso diminuem com o tempo, assim a função erétil também pode diminuir  por esse motivo, ou seja, a qualidade da ereção pode diminuir.

Um estudo aponta que, nesta fase, apenas 38% dos homens estão satisfeitos com a ereção e rigidez peniana.

Essa ereção incompleta que pode acontecer nesta fase é possível de ser prevenida, com métodos não invasivos, e também tratada para que a função peniana volte ao normal.

O desempenho masculino após os 40 anos pode decair? Esse problema ocorre com todos os homens? Tem como prevenir o fato ou tratar problemas no desempenho sexual masculino? Essas são algumas das grandes dúvidas que surgem no consultório do andrologista. Leia esse post para entender melhor sobre performance masculina nesta fase e o que pode ser feito pelos pacientes. Como melhorar o desempenho sexual masculino? Melhorar o desempenho sexual é um tema que pode começar a povoar os pensamentos dos homens a partir dos 40 anos, porque deste momento em diante eles podem sentir que já não são os mesmos. Mas, com o aumento da longevidade masculina, o homem está procurando também mais qualidade de vida. Dados do IBGE apontam que a expectativa média de vida do brasileiro é em torno de 76 anos. Aqueles que têm condições de buscar mais informações sobre formas de prevenção às doenças e serviços de saúde podem viver ainda muito mais que isso. Além disso, não basta chegar a uma idade avançada, é preciso chegar bem nesta fase, com força, vitalidade e independência. Mudanças sociais refletem novas expectativas Melhorar o desempenho masculino pode refletir um desejo de manter a mesma performance da juventude. Será que isso é possível? Os novos tempos exigem uma busca maior por uma desempenho masculino contínuo? O mundo mudou, o estilo de vida das pessoas mudou, o que faz com que muitos homens optem por casamentos mais tardios ou até queiram investir em novos relacionamentos após um casamento longo. Então, por que não buscar um melhor desempenho masculino? Por isso, dúvidas sobre como aumentar a testosterona, como aumentar o pênis, novas técnicas para cirurgia peniana e prevenção ou tratamento da impotência são assuntos que surgem cada vez mais nos consultórios médicos. Com essa nova expectativa, muitos homens podem começar também a buscar na internet soluções “milagrosas” como remédio natural para desempenho masculino ou alimentos que melhoram o desempenho sexual masculino. Como aumentar o desempenho masculino? Com a mudança da dinâmica social, muitas vezes, os homens estão no seu auge --inclusive profissional-- na casa dos 50 anos, portanto, também vão querer que esse bom momento seja refletido no sexo. E quando se fala em bom desempenho masculino não tem como não se associá-lo com a testosterona, que é o principal hormônio sexual dos homens, embora também esteja presente no organismo feminino. Na juventude, esse hormônio está no auge. Mas, em muitos casos, começa a cair a partir dos 30/40 anos. Alguns estudos médicos apontam que o nível de testosterona no organismo masculino cai 1% ao ano após os 40 anos. Já a testosterona livre, que é mais eficaz e atua nos receptores, cai 2% ao ano após essa idade. A testosterona está ligada a 3 aspectos: comportamental, físico e sexual, isso significa que a queda do hormônio vai afetar também a disposição física, força, vitalidade, cognição, emoções e performance sexual. Na parte comportamental, pacientes com testosterona baixa podem manifestar um cansaço excessivo, alterações do sono e da memória, problemas cognitivos, diminuição do bem-estar e até depressão. Já na parte física, podem perceber que diminuiu a força, a explosão e a massa musculares, diminuição da massa óssea (alguns pacientes podem desenvolver osteoporose e osteopenia) e aumento da gordura abdominal. No aspecto sexual, ocorre a diminuição do desejo sexual e da potência sexual, com diminuição das ereções matinais e da qualidade da ereção. Hábitos de vida e reposição do hormônio melhoram desempenho Embora a idade cronológica e o histórico familiar não possam ser alterados, toda essa diminuição da performance masculina pode ser prevenida e tratada. Mesmo quando a pessoa tem um histórico de doenças na família, se tiver um estilo de vida saudável poderá nunca desenvolver o mesmo problema de seus antepassados. No entanto, quem já está com os sintomas de testosterona baixa e tem problemas como diabetes, pressão alta e outras doenças, poderá também remediar e transformar o estilo de vida para ficar com parâmetros normais e até muito melhores. Também é possível acertar as taxas da testosterona com uma reposição hormonal masculina, com acompanhamento e tratamento individualizado. Esse será também um remédio para melhorar o desempenho masculino. Além da baixa hormonal, é possível prevenir outro problema que ocorre com os homens a partir dos 40 anos: o desgaste do tecido peniano. Estudos revelam que a quantidade músculos lisos no tecido cavernoso diminuem com o tempo, assim a função erétil também pode diminuir por esse motivo, ou seja, a qualidade da ereção pode diminuir. Um estudo aponta que, nesta fase, apenas 38% dos homens estão satisfeitos com a ereção e rigidez peniana. Essa ereção incompleta que pode acontecer nesta fase é possível de ser prevenida, com métodos não invasivos, e também tratada para que a função peniana volte ao normal. Atitudes que ajudam a melhorar o desempenho Buscar um acompanhamento médico constante vai ajudar que os homens tenham um melhor desempenho melhor em várias áreas de sua vida, porque estará sendo aconselhado com frequência sobre as atitudes corretas e medidas a serem tomadas, de forma criteriosa. Quando o médico faz uma prescrição de uma reposição hormonal, ele poderá ajudar o homem a entender como melhorar o desempenho sexual masculino, usando a testosterona de 3 modos: injetável, gel ou implantes. Cada caso será avaliado, a dosagem ajustada e a forma de tratamento será descrita individualmente, ou seja, cada homem tem uma necessidade de reposição diferente, por isso, não adianta tentar usar a mesma receita de um amigo ou parente. Ao começar a medicação, o paciente poderá perceber rapidamente uma melhora no seu estado geral. Além disso, o médico também poderá indicar a realização de uma atividade física regular, que vai ajudar a aumentar a performance sexual, porque os exercícios ajudam a melhorar a circulação sanguínea (o que favorece a vascularização peniana), aumenta a força, flexibilidade e a preservação da musculatura, além de gerar mais disposição e uma sensação de autoconfiança e bem-estar. Vale lembrar que alguns exercícios também favorecem o assoalho pélvico, que vão ajudar a fortalecer a musculatura e a resistência da região, o que poderá contribuir com uma melhor ereção e até ejaculação. Entre essas medidas, os médicos também podem falar sobre alimentos que podem prejudicar o desempenho masculino e, portanto, devem ser evitados, como as frituras, os açúcares em excesso e o álcool. Conclusão O acompanhamento médico para homens a partir dos 40 anos é uma atitude mais que necessária. Na verdade, essa prevenção deve começar antes desta fase, a exemplo do que as mulheres fazem, começando a se cuidar muito mais cedo, o que leva a população feminina a uma longevidade 7 anos maior do que os homens. Esse tratamento preventivo para o desempenho masculino em todas as áreas e uma renovação de estilo de vida, poderá fazer o homem entrar em um ciclo virtuoso de melhor desempenho masculino, mais qualidade de vida e aumento da longevidade. Essa consciência é fundamental e precisa ser desenvolvida urgentemente nos homens, porque quem não encontra tempo para cuidar da saúde enquanto é mais jovem vai, inevitavelmente, ter que encontrar tempo para cuidar da doença futura.

Atitudes que ajudam a melhorar o desempenho

Buscar um acompanhamento médico constante vai ajudar que os homens tenham um melhor desempenho melhor em várias áreas de sua vida, porque estará sendo aconselhado com frequência sobre as atitudes corretas e medidas a serem tomadas, de forma criteriosa.

Quando o médico faz uma prescrição de uma reposição hormonal, ele poderá ajudar o homem a entender como melhorar o desempenho sexual masculino, usando a testosterona de 3 modos: injetável, gel ou implantes.

Buscar um acompanhamento médico constante vai ajudar que os homens tenham um melhor desempenho melhor em várias áreas de sua vida, porque estará sendo aconselhado com frequência sobre as atitudes corretas e medidas a serem tomadas, de forma criteriosa. Quando o médico faz uma prescrição de uma reposição hormonal, ele poderá ajudar o homem a entender como melhorar o desempenho sexual masculino, usando a testosterona de 3 modos: injetável, gel ou implantes. Cada caso será avaliado, a dosagem ajustada e a forma de tratamento será descrita individualmente

Cada caso será avaliado, a dosagem ajustada e a forma de tratamento será descrita individualmente, ou seja, cada homem tem uma necessidade de reposição diferente, por isso, não adianta tentar usar a mesma receita de um amigo ou parente.

Ao começar a medicação, o paciente poderá perceber rapidamente uma melhora no seu estado geral.

Além disso, o médico também poderá indicar a realização de uma atividade física regular, que vai ajudar a aumentar a performance sexual, porque os exercícios ajudam a melhorar a circulação sanguínea (o que favorece a vascularização peniana), aumenta a força, flexibilidade e a preservação da musculatura, além de gerar mais disposição e uma sensação de autoconfiança e bem-estar.

Vale lembrar que alguns exercícios também favorecem o assoalho pélvico, que vão ajudar a fortalecer a musculatura e a resistência da região, o que poderá contribuir com uma melhor ereção e até ejaculação.

Entre essas medidas, os médicos também podem falar sobre alimentos que podem prejudicar o desempenho masculino e, portanto, devem ser evitados, como as frituras, os açúcares em excesso e o álcool. 

 

Conclusão

O acompanhamento médico para homens a partir dos 40 anos é uma atitude mais que necessária. Na verdade, essa prevenção deve começar antes desta fase, a exemplo do que as mulheres fazem, começando a se cuidar muito mais cedo, o que leva a população feminina a uma longevidade 7 anos maior do que os homens.

Esse tratamento preventivo para o desempenho masculino em todas as áreas e uma renovação de estilo de vida, poderá fazer o homem entrar em um ciclo virtuoso de melhor desempenho masculino, mais qualidade de vida e aumento da longevidade.

Essa consciência é fundamental e precisa ser desenvolvida urgentemente nos homens, porque quem não encontra tempo para cuidar da saúde enquanto é mais jovem vai, inevitavelmente, ter que encontrar tempo para cuidar da doença futura.

 

Home – Marco Túlio

Dr. Marco Túlio Cavalcanti Urologista e Andrologista. Disfunção Erétil e Impotência sexual: dê fim a esse tormento. Prótese do Pênis: a retomada da sua vida sexual. Doença Peyronie: correção da curvatura, recuperação do tamanho e calibre do pênis. Reposição Hormonal: retome o seu desempenho.

Instagram: @dr.mtcavalcanti

Youtube: Dr. Marco Túlio Cavalcanti

www.drmarcotuliourologista.com.br

 

Leia também

Libido masculina: como aumentar o desejo?

Libido masculina: como aumentar o desejo?

Existem vários motivos que podem impactar a libido masculina, mas será que o homem pode retomar o desejo quando está…
Covid causa impotência sexual? Altera a testosterona?

Covid causa impotência sexual? Altera a testosterona?

Estudos médicos e experiências de consultório vem demonstrando que a Covid pode ter relação direta com a impotência sexual em…
Fibrose peniana: conheça causas e tratamento

Fibrose peniana: conheça causas e tratamento

Sabe o que é fibrose peniana? Os homens podem pensar que é algo muito técnico, só compreensível para os profissionais…
Translate »